sábado, janeiro 29, 2022
Início Mundo Militares fazem motim no Mali e prendem presidente, dizem agências

Militares fazem motim no Mali e prendem presidente, dizem agências


Situação preocupa autoridades internacionais. Militares do Mali desfilam em ruas da capital Bamako após motim nesta terça-feira (18)
Malik Konate/AFP
Militares do Mali iniciaram um motim nesta terça-feira (18) na capital do país, Bamako. Fontes locais disseram a agências de notícias que os soldados amotinados prenderam o presidente malinês, Ibrahim Boubacar Keita.
O motim começou em uma guarnição na pequena cidade de Kati — a mesma onde teve início o movimento que derrubou o governo malinês em um golpe em 2012, que ocorreu em circunstâncias semelhantes. Os soldados pegaram armas e prenderam outros militares de patente mais alta.
De acordo com a Associated Press, os militares cercaram a casa do presidente e efetuaram tiros para o alto. As agências Reuters e Associated Press dizem que Keita foi detido.
A situação preocupa autoridades internacionais por causa da instabilidade política no Mali que ocorre desde 2012, quando o país africano sofreu golpe de estado. Há dois meses, o governo malinês enfrenta protestos considerados sem precedentes.
O governo da França, que colonizou o território malinês e que tem representantes no país para intermediar a crise, disse estar em contato com chefes de estado de outras repúblicas da África Ocidental, como a Costa do Marfim, o Senegal e o Níger. O presidente Emmanuel Macron afirmou que telefonou para Ibrahim Keita, mas não deu detalhes sobre a conversa.
Antes da prisão, o governo do Mali pediu aos militares para “silenciar as armas”, dizendo que está pronto para um “diálogo fraterno para dissipar todos os mal-entendidos”, segundo um comunicado de imprensa do primeiro-ministro Boubou Cissé.
“Os movimentos observados refletem uma certa frustração que pode ter causas legítimas”, declarou o chefe do Governo neste comunicado, a primeira reação das autoridades do Mali à agitação que abala a capital desde o início da manhã.
A Comunidade dos Estados da África Ocidental (Cedeao), mediadora no Mali, disse em comunicado que acompanha “com grande preocupação a situação — com um motim que surgiu num contexto sócio-político já muito complexo”.
A organização regional conclamou “os militares a regressarem aos quartéis” e ressaltou “a firme oposição a qualquer mudança política inconstitucional”, convidando os “militares a continuarem mantendo uma postura republicana”.
A Cedeao “condena veementemente a tentativa em curso e tomará todas as medidas e ações necessárias para a restauração da ordem constitucional”, indicou em comunicado.
Os Estados Unidos, por sua vez, ressaltaram por meio de seu emissário para o Sahel, Peter Pham, que “se opõe” a qualquer mudança de governo fora da estrutura legal, “tanto por parte dos que estão nas ruas como das forças de defesa e segurança”.
A França também “condenou veementemente o motim” e reafirmou “o seu apego total à soberania e democracia do Mali”, de acordo com um comunicado do ministro das Relações Exteriores.
Paris “compartilha plenamente a posição expressa pela Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental (…), que apela à manutenção da ordem constitucional e exorta os militares a regressarem aos seus quartéis sem demora”, declarou Jean-Yves Le Drian.
A situação continua confusa na capital do país e seus arredores.
“Soldados furiosos pegaram em armas no acampamento de Kati e atiraram para o ar. Eram muitos e eles estavam muito nervosos”, disse à AFP um médico do hospital da cidade.
As razões de tal ação ainda não estão claras. Um dos soldados que assumiu o controle do local disse à AFP que em suas mãos estão “vários soldados de alta patente, detidos pelos rebeldes”.
Vários chancelarias ocidentais evocaram a prisão de personalidades políticas, incluindo ministros, mas essa informação não pôde ser confirmada por uma fonte oficial.

- Advertisment -

Nordeste sustenta abastecimento de eletricidade no País

A previsão é que a eletricidade gerada pela força dos ventos alcance cerca de 20% de abastecimento da demanda no segundo semestre de 2021 São...

Geração dos ventos torna-se aliada contra a crise de energia do...

A previsão é que a eletricidade gerada pela força dos ventos alcance cerca de 20% de abastecimento da demanda no segundo semestre de 2021 São...

Fonte eólica ganha confiança do mercado e torna-se aliada fundamental para...

A previsão é que a eletricidade gerada pela força dos ventos alcance cerca de 20% de abastecimento da demanda no segundo semestre de 2021 São...

Energia eólica contribui para mitigar impactos da crise energética no Brasil

São Paulo, setembro de 2021 – A boa safra de ventos deste ano tem sido uma aliada importante para o Brasil enfrentar a severa crise...

Nordeste sustenta abastecimento de eletricidade no País

São Paulo, setembro de 2021 – A boa safra de ventos deste ano tem sido uma aliada importante para o Brasil enfrentar a severa crise...